A Irmã Antónia partiu! - Pastoral dos Ciganos
Irmã Maria Antónia

A Irmã Antónia partiu!

Irmã Maria Antónia

Irmã Maria Antónia

Amiga de mais de quarenta anos, a Irmã Antónia Mendes Alberto nasceu em 25 de Novembro de 1912 e faleceu em 19 de Agosto de 2015, muito perto de completar os 103 anos.

Presentes, na nossa memória, o seu sorriso, a serenidade e a alegria com que nos acolhia. E foi sempre um prazer ir visitá-la em Santarém, na casa-mãe da Congregação das Servas de Nossa Senhora de Fátima, a que pertencia, pois foi ali que viveu desde 2008.

Estar com ela era a experiência de um momento em família, no qual vinham à conversa também os ausentes. E sabíamos que, ao despedirmo-nos, continuávamos em comunhão.

O encontro dela com os ciganos que viviam num bairro de barracas na Buraca foi marcante, porque foi iluminado pelo Amor. Claro que ela lhes levava alguns produtos, que se preocupava com as situações, mas o que era para nós característico na Irmã Antónia, era a maneira como os respeitava e, mais ainda, como os via, como descobria o belo em cada um/a. E isso era notório na forma como se referia a este, ou àquela, de qualquer idade.

E quando esse bairro foi desmantelado e as famílias dispersas, a Irmã Antónia, já idosa, ainda se deslocava, para os visitar, à Azinhaga dos Bezouros ou a S. João da Talha e à Serra de Mira. Descobrindo transportes, fazendo algum percurso a pé, enquanto viveu em Lisboa nunca deixou estes contactos de amizade e serviço.

Era com os olhos de Deus que ela os via, filhos queridos, alguns em dificuldades.

Sabemos, sentimos que ela está na plenitude da Luz, em encantamento diante d’Aquele que ela seguiu e cuja imagem viu sempre, aqui, nos que estavam mais esquecidos, ou então mais acusados, como se, em vez de filhos, fossem um engano de Deus.

A Irmã Antónia permanecerá connosco na força do quotidiano, para darmos continuidade ao trabalho que tanto amou!

Se gostou, partilhe com os seus amigos